DE QUERER

Meu coração está pesado e sinto que a gota que me transborda está caindo aos poucos. Tudo está acontecendo em câmera lenta e eu estou sufocando.
O mundo não parece notar.
O mundo não quer perceber.
O mundo espera de mim uma fortaleza que eu não consigo mais sustentar.
Sinto um nó na garganta.
Rio, brinco, mas essa espinha está entalada.
A cada movimento meu, me passa uma mensagem.
Com sua ponta mais afiada se pressiona contra minha carne, me cortando, me matando por dentro.
Com sua extensão minimizada, parece estar em todas as partes do meu corpo. Não posso falar, não posso respirar. Só consigo um choro abafado, silenciado pelos inúmeros anos de 'não pode'. Quisera eu que minha habilidade de expurgar tudo que não me agrada fosse verdade.
Quisera eu poder arrancar de minha carne o que me mata.
Quisera eu que meu amor bastasse.
Quisera eu que tivesse amor.

Comentários